‣ CREATIVE SITE: Desenvolvimento de Sites | Lojas Virtuais | Sistemas Web | Hospedagem de Sites - SOLICITE SEU ORÇAMENTO
Buscar Notícias:
Paulo César Tamiazo
Coluna: Revivendo a História
Publicado: 09/12/2015 às 11:12:55
Notícias sobre Cordeirópolis no jornal “O Estado de São Paulo” entre 1986 e 1989
Nossa preocupação com as notícias de Cordeirópolis em certas datas prende-se ao fato de que, ou não havia jornais no período, ou os jornais existentes não foram conservados, ou os jornais existentes estão conservados, mas com acesso vetado. 

A primeira notícia estampada no jornal “O Estado de São Paulo” na segunda metade da década de 1980, foi em 28 de janeiro de 1986, quando a reportagem indicava que “a seca não atrapalha a vida dos habitantes de Cordeirópolis”. Para explicar o título, a reportagem destaca a conclusão dos trabalhos de implantação de rede de esgoto na Vila Primavera, o que deixaria Cordeirópolis com 100% de cobertura do afastamento de esgoto. 

A reportagem continua, indicando que, naquela época, o déficit habitacional de Cordeirópolis estava atingindo 500 moradias. Assim, a Prefeitura de Cordeirópolis estava providenciando a aquisição de uma gleba de 2 alqueires (pouco menos de 50.000 m2), com o objetivo de construir 120 casas. 

Dentre as obras em projeto ou em andamento, estavam incluídas: o Ginásio Municipal de Esportes; o Terminal Rodoviário; o Matadouro Municipal; um novo Distrito Industrial; pavimentação nas ruas da cidade; uma nova creche (ou centro de educação infantil) e a primeira escola da rede municipal de ensino. 

Aproximadamente seis meses depois, próximo à comemoração do aniversário do Município, em 8 de junho, reportagem do jornal volta a destacar a “falta de moradia digna” em Cordeirópolis, gerando o já falado “déficit habitacional de 500 moradias”; desta vez, a promessa era a construção de somente 70 casas, ao contrário das 120 delineadas no início do ano.  

No dia 2 de setembro, reportagem informa que a inauguração do Terminal Rodoviário de Cordeirópolis, chamado oficialmente de “Terminal Rodoviário Elizabeth Krauter”, estava marcada para 6 de setembro, com as presenças esperadas do governador Franco Montoro, do vice-governador Orestes Quércia, e do presidente do PMDB, deputado Ulysses Guimarães. Conforme o previsto, a rodoviária foi efetivamente inaugurada nesta data. 
No dia 11 de setembro de 1986, o jornal destaca a realização de um Curso de Direção Defensiva – CDD-Brasil, entre os meses de setembro e março de 1987, além da implantação de nova sinalização de vias através do DETRAN. 

Depois de alguns meses sem notícias, o mês de novembro começa com uma boa perspectiva: através de edital, a TELESP – Telecomunicações de São Paulo, concessionária estatal da telefonia fixa, a única existente, comunicou a abertura de licitação para contratação de empresa para realização de obras civis de implantação de uma central telefônica, com área total de construção de 707 m2.

No mesmo mês, no dia 19, informa-se que o curso de direção defensiva (Projeto CDD-Brasil), seria oferecido em Cordeirópolis por técnicos da empresa Honda do Brasil, com apoio do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e das empresas Esso, Goodyear, Nestlé e Itautec.  

Em janeiro de 1987, uma breve notícia dá conta da impossibilidade de reativação do ramal ferroviário Cordeirópolis-Descalvado, que estava inoperante há alguns anos, especialmente para trens de passageiros. No mês seguinte, publicação oficial informa que estava disponível para venda a quantidade de 95.000 m2 de lenha e 600 toneladas de folhas e ramos de eucalipto, referente aos hortos florestais de Loreto, Guarani, Aimorés e Cordeirópolis. 

Quanto ao Horto Florestal de Cordeirópolis, este se transformou, no fim do século passado, em um Assentamento de reforma agrária vinculado ao ITESP – Instituto de Terras do Estado de São Paulo. 
Em 17 de junho, o jornal registra as comemorações realizadas pelo aniversário do Município de Cordeirópolis, destacando a realização da tradicional festa de Santo Antonio, além dos shows e eventos relacionados à data: a inauguração de um posto de saúde no Bairro do Cascalho; um campeonato de futebol, um show sertanejo e apresentação da Corporação Musical Angelo Consentino, de Leme. 
Em 25 de agosto, foi publicado edital para concorrência visando a instalação de geradores para a estação telefônica de Cordeirópolis. Em setembro, foi comunicada a liberação de recursos para a continuidade das obras do Ginásio Municipal de Esportes, no valor à época de Cr$ 4 milhões. 

Em 3 de outubro de 1987, notícia dá conta da conclusão da primeira etapa da retificação e canalização do Ribeirão Tatu, realizada pela Prefeitura de Limeira. Descrevendo o curso d´água, a reportagem descreve que “o ribeirão Tatu nasce na Fazenda Belo Horizonte, com foz na Fazenda São José da Gruta, em Piracicaba”. 

Segundo a reportagem, o rio tem 35 quilômetros da nascente à foz, sendo trinta quilômetros dentro de Limeira; dentre estes, 10 quilômetros dentro da zona urbana da cidade. Com 31 afluentes, o ribeirão Tatu tinha, naquele momento, como trechos críticos as áreas próximas à empresa chamada naquele momento Citropectina, até a região do Viaduto Paulo Natal.  

Em 8 do mesmo mês, o assunto passa a ser a falta de linhas telefônicas em Cordeirópolis, com o serviço obsoleto. A solução seria a implantação de uma nova central, cujas obras físicas já tinham sido contratadas no ano anterior. 

Em 4 de dezembro, é registrada retomado o assunto da situação calamitosa das linhas telefônicas de Cordeirópolis. Naquele tempo, o volume de ligações excedia a capacidade máxima dos equipamentos; o crescimento do tráfego telefônico era inesperado e a solução estava prevista somente para o 2º semestre de 1988, com a substituição da central telefônica existente por outra, com capacidade para 1.000 terminais.
 
Em 26 de abril, destacam-se as melhorias realizadas em Cordeirópolis nos últimos anos, especialmente o oferecimento do Curso de Direção Defensiva – CDD, considerada uma iniciativa pioneira, que teria por objetivo sensibilizar o Governo Federal para a expansão desta experiência para todo o Brasil, além da renovada sinalização de trânsito, realizada com o apoio do DETRAN (Departamento Estadual de Trânsito). 

Em 11 de junho, informam-se os festejos de comemoração do 40º aniversário de emancipação de Cordeirópolis, que constaram da inauguração do Centro de Convenções da Citricultura, na Estação Experimental, depois Centro de Citricultura Sylvio Moreira, bem como da maternidade, de pouca duração, e da Festa do Padroeiro, Santo Antonio, no calçadão da Matriz.
 
No mês de novembro, duas pequenas notícias: no dia 20, nota informa o resultado das eleições, quando o candidato do PMDB, Odair Peruchi, conseguiu 3.229 votos, derrotando o candidato do PDS, Elias Abrahão Saad, que teve 2.791 votos. Houve 821 votos brancos ou nulos. 

No dia 30, o então prefeito eleito, Odair Peruchi, informa as propostas para o seu mandato: diminuição do déficit habitacional; ampliação da rede municipal de ensino; distribuição de medicamentos gratuitos à população; construção de ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) e ampliação do fornecimento de água tratada; novos distritos industriais; construção de um teatro municipal e reforma da sede social do Cordeiro Clube. 

Outras medidas incluíam: melhorias na Estrada que liga Limeira a Cordeirópolis; nova sede para a Polícia Militar; sede própria para o Fórum; a realização de um Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado; a construção do Mercado Municipal e incentivos para a implantação de um hotel. 

Quanto ao problema da telefonia na cidade, ele estaria resolvido nos primeiros meses de 1989, com o término da nova central telefônica, que teria 750 m2 de construção, num terreno de 1.320 m2. Informava-se que naquele momento a cidade tinha 612 linhas telefônicas, com perspectivas para a liberação de mais mil telefones após a conclusão da obra. 

Em 25 de fevereiro, é destacada a necessidade de providências para a estrada Limeira-Cordeirópolis, devido aos buracos abertos na pista, além do tráfego de caminhões pesados, fugindo do pedágio da Rodovia Anhanguera. 

Reportagens de 16 e 17 de março destacam a  realização do 2º Encontro dos Municípios de Pequeno Porte, em Águas de São Pedro e a conclusão dos debates: constatação de melhoria na arrecadação, após a Constituição de 1988, mas a preocupação com a obrigação de pagamento de dívidas, assumidas por administrações anteriores. 
Em 1º de outubro, anuncia-se a realização do 3º Encontro dos Municípios de Pequeno Porte entre 19 a 21 de outubro, em Itanhaém, sob a coordenação dos prefeitos de Cordeirópolis, Odair Peruchi e Itanhaém, Jaime Carrasco. Em 16 de novembro de 1989, é noticiada a entrega das 58 casas do Jardim São José II. 

Finalmente, a 7 de dezembro, informa-se a aquisição de área com 100 mil m2, no km 157 da Rodovia Washington Luiz, para construção de uma nova fábrica, que abrigaria o parque gráfico “Flor de Maio”, com investimentos de US$ 5 milhões, com conclusão prevista para 1991, o que não aconteceu. Depois de muito tempo sem uso, foi comprada pela Prefeitura de Cordeirópolis em 2006, para implantação de um Distrito Industrial, o que até agora não se concretizou. 

A partir desta data, a existência de jornais semanais, com acervo preservado, permitiu que pudéssemos encontrar muito mais informações sobre a cidade nos últimos 25 anos. Quanto aos 15 anos anteriores, parece que uma esperança surgiu, e há grande possibilidade de que as informações conservadas sobre este período sejam recuperadas. Mas há muito ainda a ser feito.
Últimos Artigos
Notícias sobre Cordeirópolis no jornal “O Estado de São Paulo” entre 1986 e 1989
Página anterior
Cordero Virtual - Notícias do Brasil e do Mundo - 2001-2017
Não temos nenhuma responsabilidade por qualquer conteúdo publicado neste site nas quais são citadas as fontes ou assinados.
Proibida cópia total ou parcial do conteúdo deste site sem a devida autorização.
Desenvolvimento de Sites e Lojas Virtuais
Desenvolvimento de Sites e Lojas Virtuais